sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

APRENDENDO SOBRE AS FOLHAS DAS ORQUÍDEAS

PORQUE É IMPORTANTE CONHECER AS FOLHAS?


Em botânica, as folhas são órgãos das plantas especializados na captação de luz e trocas gasosas com a atmosfera para realizar a fotossíntese, transpiração e a respiração.
As folhas possuem três estruturas diferentes:

  • Bainha - estrutura que liga a folha ao caule;
  • Pecíolo - estrutura, semelhante a um pedúnculo; e
  • Limbo - a parte laminar ou mais evidenciada da folha.

Em algumas plantas, as folhas podem não apresentar uma ou mais destas estruturas.
As trocas gasosas entre a folha e o meio ambiente são efetuadas principalmente através de pequenos orifícios na epiderme chamados estômatos, que são formados por duas células em forma de rim ou feijão, que podem controlar a abertura e fecho para, por exemplo,reduzir a transpiração. Os estômatos são geralmente mais numerosos na parte inferior da folha.
Nas orquídeas, as folhas possuem as mais diversas formas, espessuras, estruturas, quantidades, cores, tamanhos e maneiras de crescimento. Entretanto, a grande maioria apresenta folhas com enervação paralela de cruzamentos dificilmente visíveis. Estão dispostas, normalmente, em duas carreiras opostas e alternadas em ambos os lados do caule.

Filotaxia
Filotaxia é o padrão de distribuição das folhas ao longo do caule das plantas. Grande parte das orquídeas apresentam apenas uma folha por nó, e na axila de cada uma está localizada a gema lateral. Além disto, na grande maioria das orquídeas, a forma de inserção das folhas no caule é alternada. Claro, existem outras formas, porém esta é a mais comum.



Filotaxia das orquídeas: folhas alternadas
O número de folhas que o caule de uma orquídea pode ter varia entre uma e várias, sempre respeitando um número relativamente definido dentro do grupo a qual a orquídea pertence. No caso das monopodiais, o número de folhas é sempre indefinido, dependendo do seu crescimento.



Outras filotaxias – na ordem: opostas cruzadas, opostas dísticas e verticiladas


Forma (SHAPE na foto) das lâminas foliares
Quanto à forma das lâminas foliares, as orquídeas podem ter folhas:
·         Circular;
·         Elíptica;
·         Lanceolada;
 ·   obovada (quando a parte mais estreita da lâmina foliar se encontra perto do pecíolo ou da Bainha)
·         linear;
·         espatulada;
·         oblonga;
·         intermediária entre as formas acima.
Ponta das folhas
Quanto à forma da ponta das folhas, as orquídeas podem ser:
·         arredondada;
·         reta;
·         acuminada;
·         fina;
·         espessa;
·         radial;
·         desigual.
 Margens (MARGIN na foto)
As margens das folhas das orquídeas são suaves, parcialmente curvas, raramente denticuladas ou ciliadas.
Suave
Denticulada
Ciliadas

Quanto a coloração:
  • maculada;
  • bicolor;
  • variegada;
  • listrada;
  • concolor.
Sustentação
A estrutura das folhas pode apresentar pecíolo ou não, com diferente número de enervações longitudinais paralelas, bastante visíveis ou quase imperceptíveis a olho nu. O pecíolo (por vezes também denominado estipe) é um caule que fica entre a bainha e o limbo ou lâmina das folhas. Quando as folhas possuem pecíolo elas são consideradas folhas completas. Quando as folhas não possuem pecíolo, chamam-se folhas sésseis. Em outras, quando o pecíolo se liga diretamente ao centro do limbo, chamam-se peltada.

Espessura e cor

A espessura das folhas das orquídeas varia entre muito finas e maleáveis, carnosas e firmes e inteiramente suculentas. Sua cor normalmente varia entre as mais diversas graduações da cor verde. Entretanto, podem também ser vermelhas, marrom escuro, de tons acinzentados, azulados ou amarelados. Além disto, algumas espécies apresentam folhas maculadas, estriadas ou pintalgadas por cores diversas. Normalmente possuem superfície brilhante, mas ainda podem ser foscas ou com aparência farinosa.

Outras características

A maioria das espécies de orquídeas conserva suas folhas por alguns anos. Outras perdem as folhas logo após o período de crescimento, ou seja, caducam, entrando em estado de dormência que podem, muitas vezes, ser sucedido por florações. Via de regra, quando a planta entra em estado de dormência, as regas e adubações devem ser suspensas ou reduzidas consideravelmente, dependendo da espécie. Os Catasetuns e Cyrtopodiuns são exemplos de espécies cuja folhas caducam em um determinado período do ano.
Ainda há aquelas que perdem as folhas apenas em condições ambientais desfavoráveis. Existem alguns gêneros nos quais as folhas são apenas rudimentares, dando a impressão de serem constituídas apenas pelas raízes e flores. Nestes casos as raízes são responsáveis pela fotossíntese. Por fim, curiosamente, algumas espécies são desprovidas de clorofila nas folhas.

Folhas modificadas ou reduzidas

Existem outros tipos de folhas de orquídeas, incompletas ou modificadas, que não estão ligadas diretamente com a fotossíntese. A função destas folhas é proteger os brotos novos ou as hastes florais, além de prover a atração de polinizadores em alguns casos.

Folhas que protegem os brotos

A folha que recobre um broto em estágio de desenvolvimento é composta de uma bainha de folhas ou folhas bem reduzidas. Em geral, costumam ser mais duras, garantindo proteção aos novos brotos em formação, ainda muito frágeis e tenros. Brotos em formação são muito visados pelas pragas e mais suscetíveis a doenças. Quando estes brotos atingem a maturidade, essas folhas tendem a secar e cair. Em alguns casos permanecem na planta, aparentando uma palha, podendo torna-se abrigo para. Nestes casos, é recomendado que sejam completamente retirados após secarem.

Brácteas

Brácteas são estruturas foliáceas associadas às inflorescências das Angiospermas. Têm origem foliar e a função original de proteger a inflorescência ou as flores em desenvolvimento. Nas orquídeas, tem o papel de preparação da planta para o período reprodutivo. Pode assumir diversas formas, tamanhos e funções, sendo a mais comum a proteção, chamada espata.

Espatas

Espatas são um tipo de bráctea fechada que garante a segurança das hastes e botões que ali se desenvolvem. Possuem uma região mais frágil que permite que os botões ou haste a rompam sem muitas dificuldades. Algumas orquídeas podem apresentar espatas duplas ou simplesmente não apresentar espatas.
Pode acontecer de plantas florescerem com espatas secas ou com espatas verdes. Nestes casos, é bom conhecer a espécie para saber se ela floresce com espata seca ou verde, pois o orquidófilo mais desavisado poderá remover uma espata assim e acabar perdendo uma floração.

Referências

·         wikipedia.org – folha
·         wikipedia.org – pecíolo
·         wikipedia.org – filotaxia
·         wikipedia.org – bráctea




Nenhum comentário:

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *